Dr Renato Ambrósio Jr lança livro: TENHO CERATOCONE, E AGORA?!





Dr Renato Ambrósio Jr lança livro: TENHO CERATOCONE, E AGORA?!
O objetivo do livro é promover a conscientização sobre o ceratocone na população, com foco nos pacientes e seus familiares.
 
O coquetel de lançamento do livro ocorrerá no dia 02 de fevereiro de 2019 na Livraria da Travessa, Shopping Leblon, Av Afrânio de Melo Franco, 290, loja 205, Rio de Janeiro – RJ.
Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio) com mais de 350 publicações científicas e mais de 50 premiações no Brasil e no mundo, Dr. Renato Ambrósio Jr. hoje atua como diretor de Córnea e Cirurgia Refrativa no Instituto de Olhos Renato Ambrósio, além de fazer parte do corpo docente dos cursos de Pós-graduação (latu sensu) em Oftalmologia da PUC-RJ e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, atuando como professor de córnea e cirurgia refrativa. Desde 2011, ele também é professor associado da Pós-graduação (stricto sensu) em Oftalmologia da UNIFESP.
 
SOBRE O LIVRO
 
“Nesta história, abordamos de maneira leve, para facilitar o entendimento dos termos médicos, o que os pacientes e seus familiares precisam saber para conviverem melhor com o ceratocone. Trata-se de uma doença da córnea que progressivamente evolui afetando a visão e pode levar à indicação de um transplante de córnea. O transplante era, até meados dos anos 90, a melhor e praticamente a única opção de cirurgia eficaz. Enquanto ainda é uma excelente opção, com grandes chances de sucesso, o transplante tornou-se a última opção.
 
Esta quebra de paradigma ocorreu com a introdução de novas cirurgias menos invasivas, como o crosslinking e os implantes de segmento de anel na córnea.
 
Nossa história é uma ficção com pitadas de realidade para abordar desde os avanços relacionados com o diagnóstico até as novas opções de tratamento para o ceratocone.

Este trabalho faz parte da campanha de conscientização Violet June. Estabelecida por nós no Rio de Janeiro em 2018, esta campanha ganhou o mundo. O objetivo é promover a conscientização sobre o ceratocone, mas traz uma mensagem fundamental, que é para não coçar os olhos. De fato, o trauma contínuo é unanimemente aceito e reconhecido por todos os especialistas como um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento e agravamento da doença.
 
Acreditamos que se as pessoas entenderem o problema e efetivamente pararem de coçar os olhos, haverá real redução da incidência e da severidade da doença. Com isso, o sofrimento decorrente da doença será minimizado, bem como o impacto na sociedade será amenizado. Boa leitura!”
Dr Renato Ambrósio Jr.
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *