Oftalmologista ipanema

Entrevista concedida para o Eyechannel: Pela 3ª vez consecutiva, Dr. Renato Ambrósio Jr. é indicado a Power List 2018

Foi divulgada nesta quinta-feira, dia 05 de abril, pela revista inglesa “The Ophthalmologist” a lista das 100 pessoas mais influentes do mundo da oftalmologia. A Power List 2018 inclui cirurgiões, cientistas, engenheiros e CEOs, que tiveram seus trabalhos destacados durante todo ano, e pela terceira vez consecutiva tivemos o Brasil representado pelo Dr. Renato Ambrósio Jr.

Com mais de 350 publicações científicas e mais de 50 premiações no Brasil e no mundo, Dr. Renato hoje atua como diretor de Córnea e Cirurgia Refrativa no Instituto de Olhos Renato Ambrósio, além de fazer parte do corpo docente dos cursos de Pós-graduação (latu sensu) em Oftalmologia da PUC-RJ e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, atuando como professor de córnea e cirurgia refrativa. Desde 2011, ele também é professor associado da Pós-graduação (stricto sensu) em Oftalmologia da UNIFESP. Recentemente foi aprovado como Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio).

O Dr Renato Ambrósio Jr gentilmente conversou com o Eye Channel:

Eye Channel: O que representa para o senhor estar novamente entre os 100 mais influentes na Oftalmologia mundial?

Dr Renato Ambrósio Jr.: “ Fiquei muito contente e honrado em estar presente nesta lista. Esse reconhecimento motiva a continuar trabalhando de forma honesta e dedicada para ajudar os meus pacientes e tentar contribuir para a oftalmologia brasileira. Essa lista é feita por votação dos leitores dessa revista inglesa, sendo bastante rigorosa em seus critérios de votação. Na primeira vez, em 2014, fiquei listado em 11º lugar, não conhecia a revista que era relativamente nova. Fiquei muito feliz em saber que meu nome estava novamente na lista este ano.”

Eye Channel: Quais são seus próximos planos e desejos para o futuro?

Dr Renato Ambrosio Jr: “Sobre os meus planos e desejos: gostaria de ter um país melhor para as minhas filhas e gerações futuras. Tento fazer minha parte e colaborar na minha área.”

Foi a terceira vez que a revista inglesa The Ophthalmologist fez o mapeamento das 100 pessoas mais influentes do mundo na Oftalmologia. A lista é aberta e é feita por votação na internet pelos leitores da revista que se distribuem em todo o mundo. A lista inclui oftalmologistas clínicos, cirurgiões, cientistas, engenheiros e até CEOs relacionados com mundo da Oftalmologia. Enquanto qualquer lista como esta pode ser questionada quanto à sua validade e representatividade, Mark Hillen, editor-chefe da revista e idealizador da Power List coloca: “Percebemos que nossas Power Lists nunca serão definitivas. Mas quem pode argumentar que estes nomes, alguns novos e outros já familiares, não destacam o brilhantismo e a diversidade encontrados nesta especialidade fantástica, sendo 100 motivos de orgulho para a Oftalmologia mundial?”

Observamos uma disseminação global dos membros da lista na Figura 1. Quase metade vem dos EUA e quase quatro em dez da Europa (embora o status dos 16 por cento do Reino Unido como “europeus” possa ser debatido em breve). Se calcularmos o índice de listados per capita, os três primeiros países seriam Suíça, Cingapura e Reino Unido.

A Oftalmologia do Brasil se faz presente em todas as edições desta lista no nome do Prof. Renato Ambrósio Jr, que ficou em 11º lugar em 2014 e se manteve entre os cem nas listas de 2016 e 2018. Prof. Renato é filho de dois oftalmologistas, o saudoso Renato Ambrósio, fundador e segundo presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa e Vera Martins Ambrósio, com quem trabalha junto com seu irmão, também oftalmologista especializado em Retina e Vítreo no Instituto de Olhos Renato Ambrósio no Rio de Janeiro. Casado com a também oftalmologista Renata Siqueira, eles têm duas lindas filhas, Giovanna e Rafaella, que completarão 4 e 3 anos este ano.

O site Eye Channel gostaria de parabenizar o Dr Renato Ambrósio Jr. por toda sua dedicação e competência profissional, e por integrar a Power List 2018.

Leia a matéria completa aqui: http://eyechannel.com.br/ela-3a-vez-consecutiva-dr-renato-ambrosio-jr-e-indicado-power-list-2018/

visare rio

Falando sobre visão

Chega a ser redundante dizer que a visão é um elemento crucial do nosso organismo. A maneira com que enxergamos influi completamente em nossas vidas e é um dos fatores de maior influência sobre nossas experiências, memórias e acaba sendo o maior canal para nossas emoções. Mas aonde queremos chegar? Muitas vezes só valorizamos e percebemos o quanto a visão é importante em momentos ruins, quando nos deparamos com problemas e limitações. Portanto, vamos falar um pouco sobre como funciona toda essa engrenagem que nos permite ver o mundo.

Nossos olhos funcionam como uma verdadeira maquina fotográfica. As imagens, e os raios de luz atravessam nossa córnea, percorrendo caminho pela abertura da pupila, chamada de menina dos olhos, atravessando o cristalino e o humor vítreo até finalmente chegar à retina, que poderia ser uma espécie de filme fotográfico, se voltarmos à comparação com a máquina fotográfica. Durante este caminho percorrido pela luz, os meios devem estar sempre transparentes para que ela possa chegar à retina de maneira “limpa”. Dentro deste processo, elementos como a córnea e o cristalino são definitivamente fundamentais para a focalização das imagens.

Uma vez na retina, a energia luminosa se transforma e assume a forma de impulsos nervosos que são impulsionados em direção ao cérebro, percorrendo um caminho por meio do nervo óptico. Ao chegar no cérebro, mais precisamente no lobo occipital, temos a percepção da visão e interpretação.

Você sabia que nos primeiros sete anos de vida, qualquer diminuição da visão, seja em virtude de uma menor transparência das estruturas a serem atravessadas pela luz ou formações de imagens desfocadas na retina, pode ocasionar deficiência visual irreversível? São nesses primeiros anos de vida que aprendemos a ver, uma vez que existe um amadurecimento das vias ópticas e do cérebro para a visão normal. Em consequência disso, há a necessidade da retina e do cérebro receberem estímulos visuais nítidos desde o momento do nascimento.