Oftalmologista ipanema

Dr.Renato Ambrósio Jr. recebe o “Prêmio dos Fundadores da ISRS”

Honra por suas contribuições para o crescimento e avanço da Sociedade


Com um extenso currículo, o oftalmologista Renato Ambrósio Jr. luta muito pela educação ao paciente, além de trazer um tratamento humanizado e ético para os dias atuais. Em Outubro deste ano, terá seu reconhecimento mundial, dentro da Cirurgia Refrativa, quando receberá o Prêmio dos Fundadores da Sociedade Internacional de Cirurgia Refrativa (ISRS), em Chicago, com sua missão de levar saúde aos olhos de muitos pacientes, além de colaborar com artigos, ensinamentos e muita ética em seu trabalho.

A ISRS, parceira da Academia Americana de Oftalmologia (AAO), é a principal organização mundial de cirurgiões refrativos do mundo. Atualiza seus membros e sociedade sobre os mais recentes desenvolvimentos clínicos e de pesquisa em cirurgia refrativa, córnea, catarata e lentes. Os membros pertencem a mais de 80 países, e se atualizam por meio de programas educacionais inovadores, revistas clínicas, boletins mensais e reuniões em todo o mundo. É uma organização verdadeiramente global, representante dos interesses e necessidades de cirurgiões refrativos em todo o mundo.

 A cada ano, a ISRS premia os membros por suas contribuições especiais, bem como por sua dedicação ao campo. O Prêmio dos Fundadores reconhece a visão e o espírito dos fundadores da Sociedade ao honrar um membro da ISRS que fez contribuições para o crescimento e avanço da Sociedade e sua missão.

Este ano, Ambrósio Jr foi reconhecido pela ISRS e será o premiado, que já tem em sua lista os maiores nomes da Oftamologia mundial:

2017: Dr. Daniel S. Durrie

2016: Dr. J. Bradley Randleman

2015: Dr. Ronald R. Krueger

2014: Dr. Sonia Yoo

2013: Dr. Vikentia Katsanevaki

2012: Dr. Alaa M. ElDanasoury

A premiação será em Chicago, durante o Dia da Subespecialidade da Cirurgia Refrativa da AAO, a Reunião Anual da ISRS, em 26 de outubro.

Fonte: Universo Visual

2018: O ano de um dos maiores oftamologistas do Brasil, o Dr. Renato Ambrósio Jr. -Carioca e Influenciador da educação ao paciente

2018: O ano de um dos maiores oftamologistas do Brasil, o Dr. Renato Ambrósio Jr. -Carioca e Influenciador da educação ao paciente – InfoMoney

 

O Oftamologista e Professor,  Dr. Renato Ambrósio Jr. está entre os 100 mais influentes do mundo em 2018 pela Power List, da Revista inglesa “The Oftamologist”. A Power List 2018 é feita por votação dos leitores e inclui cirurgiões, cientistas, engenheiros e CEOs que participam do mundo da oftalmologia. A lista é feita a cada dois anos desde 2014. Em todas as edições, pela terceira vez consecutiva, tivemos o Brasil representado pelo Dr. Renato Ambrósio Jr.

Com mais de 350 publicações científicas e mais de 50 premiações no Brasil e no mundo, Dr. Renato hoje atua como diretor de Córnea e Cirurgia Refrativa no Instituto de Olhos Renato Ambrósio, além de fazer parte do corpo docente dos cursos de Pós-graduação (latu sensu) em Oftalmologia da PUC-RJ e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, atuando nas áreas de córnea e cirurgia refrativa. Desde 2011, ele também é professor afiliado da Pós-graduação (stricto sensu) em Oftalmologia da UNIFESP. Recentemente foi aprovado como Professor Adjunto de Oftalmologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio).

Em Julho de 2018, foi lançada, oficialmente, a campanha Violet June idealizada pelo Dr. Renato. Esta tem o objetivo de promover conscientização sobre o ceratocone e se estenderá até 10 de novembro, quando é celebrado o dia mundial de Ceratocone pela organização americana, NKCF (National Keratoconus Foundation). Destaca-se o slogan da campanha: “Não coce ou esfregue os olhos. Este ato prejudica a visão!” A campanha foi aderida por clínicas e oftamologistas de todo o Brasil e outros países como EUA, Itália, Portugal, França e Argentina e conta com apoio de instituições como a CBO, SBOe SBAO, bem como de empresas como a ZEISS e HEMISFÉRIO ÓPTICO. Enquanto a a campanha ainda está crescendo, podemos destacar algumas ações como o lançamento de um livro para crianças e leigos: “Tenho Ceratocone, E agora?!

Com um currículo invejável, o médico carioca Renato Ambrósio Jr. se mantém motivado e dedicado para trabalhar com o objetivo de ajudar o paciente iniciando-se com a sua adequada orientação e educação. “Acredito que a falta de orientação adequada pode ser tão prejudicial, ou mesmo pior que a doença para o paciente.” De fato, a Medicina carece de um tratamento humanizado e ético para os dias atuais. Difícil de se ver hoje em dia na área de saúde.

Ainda neste ano, em Outubro, ele terá seu reconhecimento mundial dentro da Cirurgia Refrativa quando receberá o Prêmio dos Fundadores da ISRS em Chicago durante a reunião anual da Academia Americana de Oftalmologia.

A Sociedade Internacional de Cirurgia Refrativa (ISRS) é principal organização mundial de cirurgiões refrativos. Seus valores são inovação, educação e ética em cirurgia refrativa, a subespecialidade da oftalmologia que trata das cirurgias para reduzir a dependência de óculos ou lentes de contato com o objetivo melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

A ISRS é uma organização verdadeiramente global muito ativa em atualizar seus membros sobre os mais recentes desenvolvimentos clínicos e de pesquisa em cirurgia refrativa, córnea e catarata. Entre seus  membros estão os principais cirurgiões refrativos do mundo que estão conectados em mais de 80 países por meio de programas educacionais inovadores, revistas clínicas, boletins mensais e reuniões em todo o mundo.

A cada ano, a ISRS premia os membros por suas contribuições para a comunidade e dedicação na área. O Prêmio dos Fundadores reconhece a visão e o espírito dos fundadores da Sociedade ao honrar um membro da ISRS que fez contribuições extraordinárias para o crescimento e avanço da Sociedade e sua missão. Este ano de 2018 o Professor Renato Ambrósio Jr. foi escolhido para compor a lista abaixo, que inclui nomes dos maiores especialistas da Oftamologia mundial:

2017: Dr. Daniel S. Durrie

2016: Dr. J. Bradley Randleman

2015: Dr. Ronald R. Krueger

2014: Dr. Sonia Yoo

2013: Dr. Vikentia Katsanevaki

2012: Dr. Alaa M. ElDanasoury

A premiação ao Dr. Renato Ambrósio Jr. será em Chicago na sexta-feira, 26 de outubro, durante o Dia da Subespecialidade de Cirurgia Refrativa da AAO que é a Reunião Anual da ISRS.

 

 

 

Veja mais em: https://www.infomoney.com.br/mercados/noticias-by-prnewswire/noticia/7516818/2018-ano-dos-maiores-oftamologistas-brasil-renato-ambrosio-carioca-influenciador

visare rio

Matéria no Vida & Ação saindo sobre a Campanha Violet June

Coçar os olhos prejudica a visão, mas a desinformação prejudica ainda mais

https://www.vidaeacao.com.br/cocar-os-olhos-prejudica-a-visao-mas-a-desinformacao-prejudica-ainda-mais/

Rosayne Macedo

‘Não coce os olhos! O ato de coçar prejudica a visão, mas a má informação prejudica muito mais!” O diagnóstico de ceratocone pode ser devastador para o paciente e toda a sua família devido à falta de orientação. Nesta doença da córnea,  tipo ectasia, na qual a córnea aumenta sua curvatura de forma irregular e assume formato de cone. Esta alteração causa astigmatismo com irregularidade, o que leva a distorção das imagens e determina limitação para a eficiência das lentes esfero-cilíndricas de óculos. Apesar d e o ceratocone poder levar a uma acentuada perda de visão, raramente leva à cegueira.

“A educação para promover o conhecimento e e a tomada de consciência do público não médico sobre a doença, são aspectos fundamentais, pois podemos ajudar verdadeiramente o paciente dentro dos primórdios básicos da prática da Medicina”, afirma Renato Ambrósio Jr, oftalmologista do Rio de Janeiro especializado em Córnea e Cirurgia Refrativa, que idealizou a campanha Junho Violeta, para esclarecer sobre a doença.

A campanha consiste na realização de ações voluntárias com o objetivo de divulgação sobre a doença para educar a população, destacando-se o fato de que coçar e esfregar os olhos pode prejudicar e muito a visão. Ainda que, a má informação sobre o assunto possa agravar o sofrimento do paciente e de seus familiares, o que ainda, prejudica mais a doença, devemos considerar a realidade preocupante de aumento do Ceratocone em todas as idades.

Segundo ele, as estatísticas clássicas da literatura especializada reportam a incidência de 1 caso para cada 2.000 pessoas (0,05%). Entretanto, esta incidência parece ser bem maior se aplicarmos estudos de screening, chegando a 6% de pessoas com interesse em realizar Cirurgia Refrativa.  “Curar algumas vezes, aliviar o sofrimento sempre que possível, confortar sempre”, dizia o especialista Oliver Wendell Holmes (1809 – 1894).

A doença é bilateral (acomete ambos os olhos) e tem caráter progressivo, porém é comum haver assimetria entre os olhos (um dos olhos ser mais acometido). Inicia-se geralmente na adolescência, afeta um pouco mais as mulheres do que os homens, e evolui geralmente até 30 ou 35 anos, quando geralmente ocorre uma estabilização natural. A doença ocorre por perda da rigidez do estroma da córnea, num processo de falência biomecânica que cursa com afinamento e protrusão da região central ou para-central.

Mais sobre a campanha

Com a PARTICIPAÇÃO EFETIVA de muitos profissionais da saúde, instituições, empresas do ramo de olhos, numa grande campanha de saúde educacional, com o objetivo de educar a população com o ato simples de não coçar os olhos, pois evita o agravamento desta e de outras doenças, principalmente, ensinando as crianças desde pequenas a não coçar, há já, uma comoção diante desta campanha tão elucidativa.

Com o apelido de Violet June, a campanha será realizada a médio prazo com muitas ações pelo Brasil, iniciando agora em junho, e será de prevenção e conscientização, com palestras abertas ao público, caminhadas de conscientização em Outubro, lançamento do livro: Tenho Ceratocone: E agora?,  que ocorrerá em Agosto, e fechamos em Novembro, dia 10, onde se comemora o Dia Internacional dos Portadores de Ceratocone. “Violete-se! Dê educação consciente ao seu paciente!”, afirma o médico.

Entrevista no Sem Censura sobre a Campanha Violet June em dia 04 de Junho

Saúde, literatura, educação financeira e música foram os temas do #SemCensura do dia (4/6).

De volta das férias, Vera Barroso conversa com a jornalista  o oftalmologista Renato Ambrósio Júnior que falou sobre sobre a campanha ‘Não coce olhos’, que ajuda a prevenir  ‘Ceratocone’, doença que afeta as córneas

Veja toda a entrevista no link abaixo:

https://www.facebook.com/semcensuratv/videos/1667770903342

Saúde, literatura, educação financeira e música são temas do #SemCensura desta segunda-feira (4/6).De volta das férias, Vera Barroso conversa com a jornalista e youtuber Nathalia Arcuri, criadora do primeiro canal de entretenimento financeiro do país, o Me poupe; o oftalmologista Renato Ambrósio Júnior fala sobre a campanha 'Não coce olhos', que ajuda a prevenir a 'Ceratocone', doença que afeta as córneas; o ator, diretor e escritor Roberto Frota comemora 50 anos de carreira com o lançamento de seu romance policial 'Mão de flor'; e o maestro e percussionista Celso Alvim cria oficinas de percussão e reedita o arraiá do Monobloco Oficial. Participe desse bate-papo!

Publicado por Sem Censura em Segunda, 4 de junho de 2018

820/

Oftalmologista ipanema

Entrevista concedida para o Eyechannel: Pela 3ª vez consecutiva, Dr. Renato Ambrósio Jr. é indicado a Power List 2018

Foi divulgada nesta quinta-feira, dia 05 de abril, pela revista inglesa “The Ophthalmologist” a lista das 100 pessoas mais influentes do mundo da oftalmologia. A Power List 2018 inclui cirurgiões, cientistas, engenheiros e CEOs, que tiveram seus trabalhos destacados durante todo ano, e pela terceira vez consecutiva tivemos o Brasil representado pelo Dr. Renato Ambrósio Jr.

Com mais de 350 publicações científicas e mais de 50 premiações no Brasil e no mundo, Dr. Renato hoje atua como diretor de Córnea e Cirurgia Refrativa no Instituto de Olhos Renato Ambrósio, além de fazer parte do corpo docente dos cursos de Pós-graduação (latu sensu) em Oftalmologia da PUC-RJ e da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, atuando como professor de córnea e cirurgia refrativa. Desde 2011, ele também é professor associado da Pós-graduação (stricto sensu) em Oftalmologia da UNIFESP. Recentemente foi aprovado como Professor de Oftalmologia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio).

O Dr Renato Ambrósio Jr gentilmente conversou com o Eye Channel:

Eye Channel: O que representa para o senhor estar novamente entre os 100 mais influentes na Oftalmologia mundial?

Dr Renato Ambrósio Jr.: “ Fiquei muito contente e honrado em estar presente nesta lista. Esse reconhecimento motiva a continuar trabalhando de forma honesta e dedicada para ajudar os meus pacientes e tentar contribuir para a oftalmologia brasileira. Essa lista é feita por votação dos leitores dessa revista inglesa, sendo bastante rigorosa em seus critérios de votação. Na primeira vez, em 2014, fiquei listado em 11º lugar, não conhecia a revista que era relativamente nova. Fiquei muito feliz em saber que meu nome estava novamente na lista este ano.”

Eye Channel: Quais são seus próximos planos e desejos para o futuro?

Dr Renato Ambrosio Jr: “Sobre os meus planos e desejos: gostaria de ter um país melhor para as minhas filhas e gerações futuras. Tento fazer minha parte e colaborar na minha área.”

Foi a terceira vez que a revista inglesa The Ophthalmologist fez o mapeamento das 100 pessoas mais influentes do mundo na Oftalmologia. A lista é aberta e é feita por votação na internet pelos leitores da revista que se distribuem em todo o mundo. A lista inclui oftalmologistas clínicos, cirurgiões, cientistas, engenheiros e até CEOs relacionados com mundo da Oftalmologia. Enquanto qualquer lista como esta pode ser questionada quanto à sua validade e representatividade, Mark Hillen, editor-chefe da revista e idealizador da Power List coloca: “Percebemos que nossas Power Lists nunca serão definitivas. Mas quem pode argumentar que estes nomes, alguns novos e outros já familiares, não destacam o brilhantismo e a diversidade encontrados nesta especialidade fantástica, sendo 100 motivos de orgulho para a Oftalmologia mundial?”

Observamos uma disseminação global dos membros da lista na Figura 1. Quase metade vem dos EUA e quase quatro em dez da Europa (embora o status dos 16 por cento do Reino Unido como “europeus” possa ser debatido em breve). Se calcularmos o índice de listados per capita, os três primeiros países seriam Suíça, Cingapura e Reino Unido.

A Oftalmologia do Brasil se faz presente em todas as edições desta lista no nome do Prof. Renato Ambrósio Jr, que ficou em 11º lugar em 2014 e se manteve entre os cem nas listas de 2016 e 2018. Prof. Renato é filho de dois oftalmologistas, o saudoso Renato Ambrósio, fundador e segundo presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Refrativa e Vera Martins Ambrósio, com quem trabalha junto com seu irmão, também oftalmologista especializado em Retina e Vítreo no Instituto de Olhos Renato Ambrósio no Rio de Janeiro. Casado com a também oftalmologista Renata Siqueira, eles têm duas lindas filhas, Giovanna e Rafaella, que completarão 4 e 3 anos este ano.

O site Eye Channel gostaria de parabenizar o Dr Renato Ambrósio Jr. por toda sua dedicação e competência profissional, e por integrar a Power List 2018.

Leia a matéria completa aqui: http://eyechannel.com.br/ela-3a-vez-consecutiva-dr-renato-ambrosio-jr-e-indicado-power-list-2018/

Olhos secos depois da LASIK?

O texto abaixo é uma tradução da entrevista concedida pelo do Dr. Renato à revista EURO TIMES, durante congresso realizado na Dinamarca. Nela, Dr. Renato aborda questões referentes ao quadro pós-operatório da cirurgia refrativa. Você sabe o que significa a sigla LASIK (saiba mais)? São as iniciais de Laser-Assisted in Situ Keratomileusis, ou seja, um tipo de cirurgia em que o oftalmologista treinado utiliza um raio laser de extrema precisão para remodelar a córnea, com o objetivo de que a luz seja focalizada de forma adequada à maioria das tarefas que exigimos dos olhos diariamente:

“É consenso que uma das principais causas de insatisfação dos pacientes que realizam cirurgia refrativa da córnea é sentir os olhos secos em associação aos efeitos pós-operatórios da LASIK. Mas, há outra questão a ser explorada: A epiteliopatia neurotrófica, que consiste em erosões epiteliais recorrentes devido à perda de sensibilidade, associada a déficit de lágrimas, induzida pela cirurgia LASIK, e que pode resultar em um paciente muito infeliz muitos meses após a cirurgia.”

A pergunta acima foi feita pelo Prof. Dr Renato Ambrósio Jr, Professor Afiliado de Oftalmologia da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e da Universidade Federal de São Paulo, Brasil, durante um XXXV Congresso da ESCRS em Copenhague, Dinamarca.

É de conhecimento geral que, desde o ano 2000, a diminuição e o retorno subsequente da sensação corneana podem ser medidos objetivamente usando um esthesiometer, dispositivo para medir a sensibilidade tátil dos olhos. O renascimento da forma normal dos nervos pode ser documentado com microscopia confocal, por meio da obtenção de imagens de amostras vivas e de informação computadorizada tridimensional.   No entanto, existem casos de perda de sensibilidade na córnea durante longo período após a LASIK, e que não se recuperam durante período muito mais extenso. Esta é a situação em pacientes que sofrem de déficit lacrimal induzido pela cirurgia LASIK, chamado de LINE, disse o Dr. Ambrósio.

Devido ao desafio que o tratamento da LINE pode impor, o foco inicial deve ser a prevenção. Para evitar o agravamento de um paciente com pré-disposição ao déficit lacrimal, é necessário realizar seleção adequada do procedimento refrativo de acordo com cada paciente.

“A síndrome de disfunção lágrima pré-existente é um importante fator de risco para um quadro severo de olho seco no pós-operatório. Isso é muito comum, porque os pacientes que têm dificuldade em usar lentes de contato se convencem de precisam de cirurgia refrativa”, alertou.

O cirurgião deve estar atento ao exame pré-operatório desde o perfil da queixa e a entrevista realizada pelo profissional de saúde. Além disso, a avaliação clínica deve incluir imagens oculares, como o OCULUS Keratograph®, que permite avaliar a estabilidade do filme lacrimal e todo seu sistema, envolvendo as glândulas de Meibomian e a dinâmica intermitente. “Os corantes vitais, incluindo a fluoresceína e rose bengala ou lissamina verde, são importantes. Também descobrimos que o azul de tripano é muito eficaz para examinar a superfície da córnea e conjuntival “, disse Ambrósio.

Como podemos minimizar o trauma dos nervos da córnea durante a cirurgia refrativa? Ao executar a LASIK, uma aba mais fina com menor diâmetro e dobradiça maior irá reduzir o impacto sobre as fibras do nervo da córnea, aconselha Dr. Renato.

A pequena incisão com técnica de extração lenticular, chamada de SMILE, é um procedimento com menor impacto sobre os nervos da córnea em relação a LASIK, uma vez que não há corte de aba. Ele compartilhou dados que mostraram que a sensibilidade da córnea é menos afetada e retorna à linha de base mais rápido depois do uso da técnica SMILE, explicada acima.

E quanto aos pacientes já previamente diagnosticados com LINE (déficit lacrimal)? Seu conselho é aplicar estratégia designada à condição da pessoa, começando uma explicação completa sobre a disfunção e levando informação ao paciente.

“Prescrever lágrimas artificiais sem conservantes é importante. Além disso, a suplementação oral de Omega-3 EFA com cápsulas de linhaça e/ou óleo de peixe, ciclosporina tópica 0,05% e gel dexpantenol funcionam bem. Em casos graves, o soro autólogo é necessário”, disse ele.

Oftalmologia brasileira é homenageada no Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa na Índia

O Prof. Renato Ambrósio Jr, oftalmologista do Rio de Janeiro e colaborador do Posto Seis com sua tradicional coluna OFTALMO/SAÚDE, recebeu a `Golden Medal 2016` como reconhecimento por suas contribuições para Oftalmologia internacional durante o congresso da Sociedade de Implantes Intraoculares e Cirurgia Refrativa da Índia (IIRSI). A reunião anual da IIRSI foi organizada pelo Prof. Amar Agarwal e ocorreu em Chennai nos dias 2 e 3 de julho de 2016, com mais de 2500 congressistas.

Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa

Prof. Renato Ambrósio com Prof. Amar Agarwal Chennai no Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa

 

Em suas palestras, foram abordados importantes temas relacionados com avanços da Cirurgia Refrativa, destacando-se a nova técnica SmILE para correção de miopia e astigmatismo. “Neste procedimento, fazemos a correção do grau por meio da retirada de uma lentícula criada na córnea com o laser de femtossegundo da ZEISS – VisuMAX. A extração da lentícula é feita por uma incisão pequena, menor que a do LASIK, o que faz a cirurgia ser menos invasiva e traze algumas vantagens.” Na revisão da literatura sobre SmILE, técnica que ele já realiza desde 2014, observa-se que mais de 90% dos casos obtém visão melhor que 20/25 com excelente estabilidade desde o primeiro mês, o que é compatível com liberdade visual do uso de outras formas de correção. Apesar de raras, observa-se incidência de complicações em menos de 1% dos casos. “Todo procedimento médico tem seus riscos, benefícios e limitações, sendo o papel do médico trabalhar para minimizar os problemas que podem ocorrer, bem como identificar e tratar adequadamente para evitar possíveis sequelas, que são felizmente bem raras.”, afirma.

Adicionalmente, deve haver um equilibrio entre a tecnologia disponível, o conhecimento do cirurgião para usar tais recursos e o zelo pelo paciente. “Os procedimentos para correção visual refrativa são alternativas ao uso de lentes de contato ou óculos para a correção do grau da refração (miopia, hipermetropia e astigmatismo). Estes procedimentos são eletivos, ou seja opcionais. Apesar de serem o procedimentos mais comuns na medicina, a educação do pecifente é undamental para que sejam tomadas decisões conscientes, bem como para gerar expectativas realísticas. Este é o maior objetivo do nosso site visarerio.com.br”.

A avaliação pré-operatória, um dos temas de maior interesse de Ambrósio foi destacada. “Os exames complementares possibilitam planejamento personalizado e minimiza complicações. Para tal, deve-se interpretar adequadamente os dados clínicos. Por, exemplo, tanto o LASIK como a ablação de superfície (PRK) ainda têm indicações em casos especícios.” conclui.

Oftalmologia brasileira é homenageada no Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa na Índia

Oftalmologia brasileira é homenageada no Congresso Internacional de Catarata e Cirurgia Refrativa na Índia