Falando sobre Catarata

A famosa frase na qual diz que os olhos “são a janela da alma” pode ser interpretada de várias maneiras, mas o que não podemos discordar é do quanto nossa visão é importante e está diretamente ligada a quase todas as nossas experiências de vida. Assim como outras partes do nosso corpo, a visão sofre com algumas imperfeições e acaba gerando alguns problemas em nosso dia a dia. Por isso, a oftalmologia tem a importante missão de reduzir e tentar eliminar estas imperfeições com objetivo de gerar qualidade de vida aos pacientes. A catarata é um destes problemas que milhares de pacientes enfrentam, mas você sabe de fato o que ocorre em nossos olhos e qual solução podemos adotar para superarmos este obstáculo?

O que caracteriza a catarata é a opacificação do cristalino, ou seja, é o processo em que o cristalino perde a transparência natural. E como isso nos afeta? Bem, para que possamos enxergar de maneira clara e nítida, os raios de luz precisam penetrar nossos olhos, atravessado justamente o cristalino, até chegar à retina. Mas do que se trata o cristalino? É a lente situada no interior dos nossos olhos, que tem como função a focalização de imagens.  Com esta disfunção e perda de transparência do cristalino, a formação da imagem fica comprometida. Este problema tem recorrência maior em pessoas com mais de 50 anos, com a chamada catarata senil, mas também pode haver incidência em outras circunstâncias como em decorrência de acidentes, efeito colateral proveniente do uso de algum medicamento e ainda no nascimento, denominada catarata congênita.

Atualmente, o único tratamento indicado para tratar a catarata é por meio de intervenção cirúrgica. O procedimento é o seguinte: na cirurgia de catarata, o cristalino é removido, por aspiração, e é substituído por uma lente intraocular artificial. Trata-se de uma intervenção sofisticada e delicada, realizada por meio de pequeno corte, medindo apenas alguns milímetros, utilizando anestesia local. O procedimento dura poucos minutos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se livre para contribuir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × cinco =